Veja como foi a operação que matou o líder do Estado Islâmico



O relato de Trump é de que al-Baghdadi foi perseguido por cães militares norte-americanos até o fim de um túnel, "choramingando e chorando e gritando por todo o caminho". Quando chegou ao final do percurso, acuado pelos cães, detonou os explosivos. Parte do túnel desabou.



"Morreu como um cachorro, como um covarde", disse Trump.

Abu Bakr al-Baghdadi estava sendo perseguido em uma operação que durou mais de uma hora com oito helicópteros na província de Idlib, no noroeste da Síria. Trump disse que as forças especiais "executaram uma incursão noturna perigosa e ousada".

Al-Baghdadi fugiu pelo túnel ao ser encontrado em um imóvel, onde os militares entraram quebrando as paredes para evitar as armadilhas das portas.

Funcionários dos Estados Unidos disseram ao jornal "The New York Times" que o paradeiro de al-Baghdadi foi descoberto após o interrogatório de uma das esposas de al-Baghdadi e de um mensageiro. A região onde ele foi encontrado é controlada pela Al-Qaeda.

Segundo Trump, o corpo de Abu Bakr al-Baghdadi foi mutilado pela explosão, mas ainda assim foi possível fazer a identificação 15 minutos depois, por meio de teste de DNA.

Trump agradeceu a ajuda de outros países como Rússia, Turquia, Síria e Iraque, que forneceram informações. O presidente disse que os russos, no entanto, não sabiam detalhes da operação.