SAJ: Secretário de Saúde rebate críticas de Dr. Gil, “Ele não cumpre a carga horário e quer receber privilégios”



Secretário de saúde rebate críticas do médico Gilvandro Costa em relação aos postos de saúde do município. Numa entrevista à Rádio Andaiá FM 97.1, o secretário Leandro Lobo explicou que já foram entregues 20 unidades de saúde reformadas e restam 16 incluindo o da comunidade Alto do Morro, citada por Dr. Gil, “As unidades que estão sem dentistas demandam mediante a um ajustamento de conduta que fazemos, esses pacientes são atendidos na unidade do Andaiá e do CEU e aos sábados fazemos atendimentos para as unidades quando o dentista em determinadas situações como nas zonas rurais, a gente não conseguiu chegar ainda.  A cada reforma que estamos fazendo com profissionais, médicos, equipamento, estamos trazendo medidas novas”, disse.  Para o secretário, faltou propriedade na fala do médico ao afirmar falta de fiscalização da Vigilância Sanitária e comenta atitude em criticar os colegas, “Não adianta um indivíduo soltar palavra soltas porque a população tem consciência, temos recebidos críticas do povo e vamos trabalhando para melhorar. Mas, demagogia, ideologia trocada, falta de educação não posso permitir. Realmente precisamos fiscalizar o serviço de todos os trabalhos. Não adianta ele criticar os colegas, porque o maior problema da Secretaria de Saúde hoje é causado por ele”, frisou. O secretário salientou ainda que Dr. Gil está respondendo a um processo administrativo disciplinar, pois não cumpre a devida carga horária e quer receber ‘privilégios’, “Ele manda mensagem de texto ameaçando autoridades sanitária e a Secretaria de Saúde que vai falar na rádio. Ele quer um carro só para ele sair 05h no conforto dele para atender na zona rural apenas por 1h de relógio, querendo dizer para mim que sou médico e audito o trabalho dele, que ele consegue atender 15 pacientes em 1h. Ele não cumpre carga horária e quer receber horas extras incorporada ao salário dele que não é permitido”, pontuou. O secretário garantiu que reconhece as necessidades na saúde como falta de medicamento, dificuldades de um posto de saúde, mas garantiu que a Secretaria tem trabalhado para melhorar, “Não existe gestão perfeita, não está tudo perfeito, mas precisamos trabalhar com seriedade. Atacar a figura de colegas, a gestores para defender seus privilégios, eu não vou permitir. Ele deveria dá exemplo de profissional médico e ter vergonha de chegar na rádio e dizer que tem atendido uma quantidade de pacientes nessa carga horário que ele diz cumprir. É por isso que o estado vive dificuldade por causa de profissionais como esse que vê a secretaria de saúde trabalhar e vir para radio falar inverdades. Acho bom ele comparecer ao RH da secretaria de saúde que ele já recebeu notificação”, destacou.

Fonte:Blog do Valente.