NOTA



A Prefeitura de Santo Antônio de Jesus, através da Secretaria de Educação, informa que recebeu com estranheza a matéria publicada neste domingo (11) em A Tarde, visto que desde o início da atual gestão, em 2017, o município vem registrando vários avanços na Educação, inclusive no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB).
Cumpre ressaltar que apesar de todos os problemas encontrados, sobretudo quanto a infraestrutura das unidades escolares, que estiveram anos a fio sem qualquer manutenção, e da falta de investimentos em formação de professores, na nossa gestão, a cidade já registrou aumento no IDEB. Nos anos iniciais (5º ano), o índice em Santo Antônio de Jesus saltou de 4.4 em 2015 para 4.8 em 2017. Já nos anos finais (9º ano), o índice foi de 3.6, superando os 3.3 registrados em 2015.
Sabemos que o cálculo do IDEB não resulta apenas do desempenho quantitativo nas provas. É uma combinação de fatores. Em Santo Antônio de Jesus estamos buscando atender aos requisitos que impactam diretamente sobre esse resultado, a gestão atual tem investido fortemente na busca da qualidade, ofertando mais serviços de suporte para garantir a permanência do estudante na escola: ampliação do transporte escolar, incremento da merenda com cardápios variados e atendendo às necessidades nutricionais por faixa etária, além de alimentação especial para crianças com restrições alimentares, livros, fardamento escolar gratuito, materiais didáticos, atividades complementares em turno oposto, reconstrução dos espaços escolares, garantia dos direitos dos professores mediante cumprimento do Plano de cargos e salários.
Agora, estamos em fase de conclusão da reserva técnica para todo o quadro de professores concursados da rede municipal. Desse modo, a gestão cumpre na totalidade a Lei do Piso/2008 que prevê o direito à redução de carga horária em regência de 20 horas para 13 horas de aulas, ficando 7 horas destinadas às atividades de planejamento, formação e outras inerentes ao profissional de carreira, no âmbito da educação.
A atual gestão recebeu todas as escolas públicas do município em total abandono no que se refere à estrutura física. Todas! Grande parte dos estudantes sequer tinham carteiras. Já foram reformadas ou reconstruídas, 21 Unidades Escolares, priorizando sempre as que estão em pior situação. Além da reconstrução, muitas escolas receberam ampliação: salas, sanitários, espaços administrativos e recreativos. As obras contemplam acessibilidade. E estamos seguindo com os investimentos na melhoria da infraestrutura.