Homem procurado pela Policia é preso após ser Flagrado por câmera de reconhecimento facial no carnaval

(Foto: Divulgaçao/SSP-BA )
jovem de 19 anos que foi preso enquanto curtia o carnaval de Salvador, vestido de mulher, depois de ter a imagem do rosto registrada por uma câmera de reconhecimento facial, era procurado pela polícia por ter matado um homem após se irritar pelo fato de a vítima ter passado perto dele, de moto, em alta velocidade. O crime ocorreu no ano de 2017.

Marcos Vinicius de Jesus Neri foi identificado e preso pela polícia, na terça-feira (5), no circuito Dodô (Barra-Ondina), por onde passam as principais atrações da folia. Ele estava com a fantasia do bloco As Muquiranas, um dos mais tradicionais do carnaval da cidade, quando foi flagrado pela câmara instalada em um portal de segurança na Barra — as barreiras são instaladas todos os anos nos locais de realização da festa para fazer a revista dos foliões antes que eles entrem nos circuitos.

Marcos Vinicius de Jesus Neri era procurado por homicídio e foi preso ao ir ao carnaval vestido de mulher — Foto: Divulgação/SSP-BA
Foto: Divulgação/SSP-BA

O suspeito foi denunciado à Justiça pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA) em junho de 2018, sete meses depois do crime, ocorrido na cidade de Lauro de Freitas, região metropolitana da capital.

Conforme a investigação, o crime foi no final da tarde do dia 6 de dezembro de 2017. Marcos Vinicius passeava a pé, em via própria para pedestres, nas proximidades da casa onde morava, na Rua Travessa Gilberto Ferreira, no bairro da Palestina, quando a vítima, Sandro Barreto de Souza, passou de moto em alta velocidade perto dele, o que irritou o suspeito.

Marcos, ainda segundo a investigação, achou a atitude do motociclista provocadora e, conforme testemunhas, teria dito ao condutor: "Quer me matar, vagabundo?". Depois, o suspeito entrou na casa onde morava, pegou uma arma de fogo e, utilizando um veículo automotor — a polícia não divulgou se foi um carro ou uma moto — seguiu a vítima.

Quando conseguiu alcançar o motociclista, na Rua Direta do Jambeiro, no bairro de Areia Branca, ainda conforme a investigação, Marcos desembarcou rapidamente do veículo e atirou diversas vezes contra a vítima, pelas costas. Em seguida, o suspeito fugiu do local.

Na denúncia, o Ministério Público disse que o crime foi cometido por motivo fútil e que o motociclista não teve possibilidade de defesa. O órgão disse ao G1, nesta quinta-feira (7), que o caso está com a Justiça. A reportagem tenta contato com a defesa de Marcos Vinicius.


Suspeito de homicídio, vestido de mulher, é preso após ser flagrado por câmera de reconhecimento facial no carnaval de Salvador — Foto: Divulgação/SSP/BA

Prisão


O bloco de travestidos em que Marcos Vinicius queria curtir o carnaval leva uma multidão de homens vestidos de mulher para avenida e, esse ano, usou o tema "Cabaré" para fazer as fantasias dos associados. No dia em que ele foi preso, o trio foi comandado pelo cantor Léo Santana.

A Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) detalhou que após a imagem do jovem ser registrada pela câmera, ele foi abordado por policiais militares. Neri estava com mandado de prisão em aberto desde julho de 2018, quando houve a denúncia do MP à Justiça.

Ainda conforme a secretaria, Neri é da cidade de Lauro de Freitas, e foi o primeiro a ser preso com o auxílio da tecnologia de reconhecimento facial implantada pela SSP pela primeira vez no carnaval de Salvador em 2019 — a tecnologia já tinha sido usada no Festival da Virada.

Com o objetivo de impedir a entrada de objetos que ofereçam riscos à vida de baianos e turistas, a SSP instalou 44 portais de abordagens distribuídos nos circuitos Dodô (13), Osmar (22) e Batatinha (7).

Suspeito foi flagrado por câmera instalada em portal de segurança do carnaval de Salvador — Foto: Divulgação/SSP-BA
Foto: Divulgação/SSP-BA

A instalação das câmeras foi justamente com a finalidade localizar criminosos com mandados de prisão em aberto e impedir o acesso de armas de fogo e outros objetos que possam expor a risco os foliões. Nos portais, ocorrem revistas com detectores de metais.

Os equipamentos espalhados pelos três circuitos nos portais de abordagem identificaram 460 mil pessoas por dia.

O reconhecimento é feito a partir da comparação das imagens das pessoas que tiverem acessos aos circuitos com o banco de dados da Secretaria da Segurança Pública (SSP). Mais de R$ 18 milhões foram investidos nos softwares de reconhecimento, segundo o governo. O sistema também ajuda a localizar pessoas desaparecidas. 

Fonte: G1 Bahia