Professor é preso pela PF por abusar de crianças e produzir vídeos para deep web


A Polícia Federal deflagrou na manhã de hoje (22/10) a Operação Mestre Impuro, para combater a divulgação de imagens de abuso sexual envolvendo crianças e adolescentes na internet, em São Paulo. Policiais federais dão cumprimento a 2 mandados de busca e apreensão e a 1 mandado de prisão preventiva, na capital paulista. Todos foram expedidos, a pedido da PF, pela 8ª Vara Criminal Federal de São Paulo.

O inquérito policial teve início após a Polícia Federal receber informações sobre um brasileiro que estaria publicando grande quantidade de material contendo cenas de sexo, em fóruns dedicados à pornografia infantil. 
loading...

Policiais federais entraram no ambiente da deep web com o uso de equipamentos e técnicas próprias para a investigação desse tipo de crime e identificaram que esse brasileiro seria um professor que atua na capital paulista. As diligências realizadas apontam que ele se valeria da proximidade decorrente da profissão para abusar de crianças entre 5 e 10 anos de idade, de ambos os sexos.Fonte: Informe Baiano

As evidências trazidas aos autos indicam que haveria não somente o compartilhamento dos arquivos ilegais, mas também a identificação de sua produção nas imagens dos abusos. Assim, ele pretendia conquistar respeito e admiração entre os demais integrantes dos grupos criminosos em que ele atuava na deep web. Até o momento, 7 crianças foram identificadas, sendo membros da família do suspeito, alunos e alunas. Agora a PF trabalha para identificar se há outras vítimas, a partir da análise do material apreendido e da oitiva de pessoas.
O investigado será indiciado pelos crimes de publicação de imagens de pornografia infantil, previsto no ECA – Estatuto da Criança e do Adolescente, com penas de 3 a 6 anos de reclusão, e pelo crime de estupro de vulnerável, previsto no Código Penal, com penas de 8 a 15 anos de reclusão. O preso será encaminhado ao sistema prisional estadual, onde permanecerá à disposição da Justiça.
Fonte: Informe Baiano